Como deve ser a infraestrutura de uma clínica de recuperação

Apesar de o número de dependentes químicos ser muito grande no Brasil, ainda existem muitas dúvidas permeando o assunto “clínica de recuperação”. Alguns familiares acreditam que se trata de uma medida muito extrema e que sempre é muito cara, enquanto os dependentes costumam relutar muito em sair do convívio do seu grupo social e internar-se.

É natural que uma temática tão complexa cause dúvidas, mas os dependentes e os seus familiares precisam considerar a clínica de recuperação como um recomeço para quem está tomado pelo vício em remédios, crack, lança perfume, álcool, cocaína, metanfetamina e tantas outras substâncias.

 

Sinais de alerta em uma clínica de dependência química

 

As clínicas para dependência química são instituições da área da saúde e, em decorrência disso, devem seguir os padrões da vigilância sanitária, apresentando boa higienização e alimentos e medicamentos bem conservados.

Todos os atendimentos médicos e psicológicos precisam ser ministrados por pessoas comprovadamente habilitadas. Além disso, os dependentes que ficam internados devem ser bem tratados.

Com base nessas informações, os familiares e amigos que procedem à internação de alguém devem prestar atenção se existem denúncias contra a clínica na vigilância sanitária, se há reclamações de familiares e se as pessoas que trabalham na clínica têm habilitação necessária.

É imprescindível também visitar a clínica, andar pelas suas dependências e observar a limpeza e se as pessoas internadas aparentam estar em boas condições, na medida do possível.

 

Opções de clínica de recuperação em São Paulo

 

Felizmente, São Paulo oferece muitas opções de clínicas para pessoas viciadas em drogas lícitas e ilícitas, com valores diversos; além disso, é importante que as famílias saibam que também podem ser encontradas clínicas gratuitas.

Uma dessas clínicas é o Grupo SOS Vidas, cujas unidades femininas ficam em Embu Guaçu, Guarulhos e São Lourenço da Serra; suas unidades masculinas, por outro lado, encontram-se em São Paulo, Mairiporã e Guarulhos. Os tratamentos que o Grupo SOS Vidas tem são para problemas psiquiátricos, dependência química e mais.

Outra clínica no Estado de São Paulo é o Grupo Recuperar, que tem unidades de alto padrão e as comuns, sempre com separação por sexo. Ela trabalha com internação compulsória e internação por meio de vários convênios; seus tratamentos são para bipolaridade, esquizofrenia, alcoolismo, dependência química e outros casos.

 

Casa de recuperação ou acompanhamento externo – qual é o mais vantajoso?

 

A dúvida entre optar por uma casa de recuperação ou manter a pessoa viciada no tratamento externo, sem internação, é sempre grande. Porém, cada um desses tratamentos é mais vantajoso para um perfil de pacientes. Quando a pessoa viciada leva a sério as suas reuniões nos Narcóticos Anônimos (NA), mantém-se longe das companhias e dos lugares que propiciam o uso da droga e realmente consegue ficar abstêmia, a internação é desnecessária.

Por outro lado, a casa de recuperação é fundamental quando as pessoas viciadas não conseguem ficar longe da droga, ainda que tentem, e quando elas não assumem que usam drogas ou que têm um vício.

Leia mais artigos em nosso blog.